Qual a real beleza? 21


Essa semana a  Dove lançou uma campanha com o tema:  “você é mais bonita do que pensa”.

gestanteE a Kalu, escreveu lá no Beleza Mamífera o quanto você é bonita e nem sabe disso! 😀

Eu vou escrever pra você, que pensa em gestar, mas morre de medo das transformações que vão acontecer no seu corpo…. ou pra você que está gestando, se sentindo uma pata-choca, chorando a cada estria nova que aparece… Vou escrever pra você que acabou de ter seu bebê, e ainda não teve seu corpo de volta.

Sim, seu corpo nunca mais será o mesmo.

Mas você também nunca mais será a mesma.  A maternidade é uma das grandes transformações que você pode experimentar. E não apenas no corpo. O corpo apenas registra a mudança que está acontecendo na sua alma, nas suas emoções, no seu eu. A cada nova gestação, novas experiências e novas transformações.corpo pos parto

As alterações que acontecem em seu corpo são a marca registrada da maravilhosa capacidade que ele teve em se adaptar a uma nova situação. As estrias que talvez passem a existir em sua barriga e seios, são a história registrada e carimbada de uma experiência que apenas você, e mais ninguém, pode viver, porque cada gestação é peculiar e só você é capaz de registrar cada sensação, cada momento, cada mudança que ocorre durante os nove meses dessa mágica experiência.

O que significa ser  escrava de uma imagem? De uma sociedade que define padrões de beleza possíveis à minoria das mulheres? O que deixamos de viver, experimentar, devido a amarras do medo da transformação?

Vivenciar a oportunidade de gestar uma vida como a mais incrível experiência de transformação, adaptação e poder pelo qual um  corpo grávido passa é muito, muito maior.

Tudo muda e, se a transformação do seu corpo não acontecer pela gestação, acontecerá pelo tempo. E acredite, quando ouvir o riso do seu bebê, quando sua filha adolescente te abraçar, ou teu filho pequeno disser que te ama pela primeira vez, seu quadril um número maior, ou  as estrias na barriga, serão tão secundários que cada marca será uma lembrança dos momentos maravilhosos que geraram essa transformação registrada em seu corpo.

Seja menos crítica com você. A percepção que temos sobre nós mesmas, são geralmente mais duras e impróprias. Na realidade não é assim que o mundo nos enxerga.

Você pode ver mais fotos incríveis como essa, clicando na galeria logo no início do post, ou na página do fotógrafo no Facebook.


Sobre Gisele Leal

- Acompanhamento da Gestação - Preparação para o parto (individualmente ou em grupos) - Consultoria para a escolha de profissionais e locais de parto - Elaboração do Plano de Parto - Dia da Despedida da barriga, barriga de gesso - Acompanhamento do Trabalho de Parto, Parto e Pós-parto imediato - Assistência ao Parto e puerpério - Consultoria em Aleitamento Materno - Fotos do parto, da família e da gestante

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

21 pensamentos em “Qual a real beleza?

  • Michele Melão

    Gisele, texto simplesmente lindo. Compartilhei na minha página no face e no g+.
    Todas deveriam ter a chance de ler.
    Realmente emocionante… adorei como jornalista, escritora, mulher e principalmente como mãe.
    Grande abraço,
    Michele Melão

  • Carol

    Também acho incrível a sensação de ser mãe, mas não acho meu corpo nada bonito após a gravidez.
    26kg a mais, estrias, peitos caídos, pra uma moça tão jovem e que já foi tão bonita um dia, é muito triste 🙁
    Sou muito infeliz por causa do meu corpo.

    • Gisele Leal Autor do post

      Carol
      quanto tempo faz que vc teve sua ultima gestação?
      as estrias, o peito, tudo isso faz parte…. e te digo com certeza, que se não fosse agora devido à gestação, seria pelo tempo.
      Já fez esse exercício de olhar para seu novo corpo, e vê-lo como um templo que gestou uma (ou mais) vida (s)?
      A vida é uma transformação constante… As gerações sofrem transformações (ou mutações, como se referiu Darwin na teoria evolutiva). O mundo se transforma a cada dia. A camada de ozônio, os rios, os mares, o solo, os vegetais, animais e a espécie humana se transformam. Nosso planeta está em constante evolução e transformação. E nós, seres humanos passamos todos os dias por um processo de transformação que, às vezes, passa desapercebido aos nossos olhos. Nossas células se renovam diariamente. Nosso corpo naturalmente descarta células mortas de nossa pele e substitui por células novinhas. O mesmo acontece com vários órgãos e tecidos, inclusive com o sanguíneo.
      Aceitar a mudança faz parte de aceitar a vida. E aceitar a mudança que uma gestação traz aos nosso corpo, é parte de um objetivo muito maior do que preservar a estética e beleza que, por mais que sejam cultuadas, passarão pelas mesmas transformações que todo sistema vivo passa. O tempo chega e deixa suas marcas por onde passa. Então pergunto: Por quanto tempo, mesmo que não tivesse engravidado, conseguiria preservar seu corpo jovem? Por quanto tempo conseguiria manter sua barriga, seus seios e seu quadril como eram antes da gestação?
      O que você ganhou que não tinha com a maternidade? O que a maternidade te trouxe, e que você não consegue mais se ver sem?
      De repente pode ser muito rico e interessante conversar com uma profissional que ajude você a se enxergar como vc realmente é, e não como você acha que você é após todas essas transformações. Você já visitou o “Beleza Mamífera” aqui no portal? Vale a pena! Você pode entrar em contato com a Clarisse, consultora de imagem e coach de imagem.
      Desejo que você se veja como é. Tenho certeza que você é muito mais bonita do que se vê 😀
      Um beijo com carinho
      Gisele

      • Carol

        Oi Gisele, respondendo suas perguntas:
        Meu filho já está com 7 anos. Tive meu filho muito cedo, com 15 anos e se não tivesse engravidado estaria com um corpo bonito por bastante tempo ainda. Sofro muito com esse corpo horroroso, me privo de muita coisa e vivo infeliz. Não consigo aceitar isso 🙁
        O que ganhei com a maternidade? Me trouxe meu bem mais precioso, meu filho, que é claro que eu não consigo viver sem.
        E não sou e ninguém me acha bonita, pois eu já questionei outras pessoas.
        Triste 🙁

        • Leticia Dawahri

          Carol querida, um grande abraço em você. Olha, ter um filho com 15 anos é muito complicado. É muito mais que “perder” um corpo, mas lida-se muito cedo com a responsabilidade, a maturidade forçada, as limitações de vida que um filho impõe. A juventude não vivida, os relacionamentos, amizades, descobertas, enfim.
          Eu concordo em parte com você. Quando se deseja muito um filho, fica mais fácil lidar com as transformações do corpo (mas olha, nem sempre é assim) do que quando você precisa passar pelas transformações “forçadamente”.
          Talvez você precise pensar em outras nuances de você, além do corpo. Será que, agora, com 22 anos, você está alegre? Feliz? Disposta? A proposta é pensar a beleza muito além do estético, pois este está sempre a desejar, até para as modelos…rs. Se você cuida dos outros aspectos, o corpo fica apenas uma parte do todo, e não o todo.
          Pense com carinho! Beijos!

        • Clarisse Padilha

          Oi Carol. Vi seus comentários aqui no blog a respeito da sua insatisfação com o seu corpo depois da gravidez. Eu entendo a sua insatisfação com o seu corpo e me identifico com a forma como você se sente. Eu fui uma adolescente fora do peso e durante este período eu tinha ódio do meu corpo, e chorava na frente do espelho com raiva e insatisfação. Meu pai tem muita tendência pra engordar e eu também tenho. Eu cresci com minha mãe magérrima, tirando comida da minha boca, com medo que eu ficasse gorda. Tive fases mais gordinha, outras mais magra, enfim, cresci controlando a minha alimentação. Quando eu engravidei do meu filho, estava feliz com meu corpo. Engordei 13 quilos na gravidez, mas foi amamentando que eu perdi o controle, comi feito louca e acabei ficando fora do peso uns 2 anos depois que meu filho nasceu. Daí comecei a me cuidar de novo, passei a praticar uma atividade física, cuidar mais da minha alimentação, buscar auto-conhecimento e hoje em dia estou feliz com meu corpo. Sabe o que eu percebi? Que quanto mais eu me amo, mais eu me cuido. Quanto mais eu me conheço, mais eu me amo. Quanto mais tranquila, realizada e em paz comigo eu me sinto, mais isso reflete na minha imagem positivamente.
          Como coach de imagem vou deixar aqui algumas perguntas pra que você reflita um pouco a respeito da sua relação com sua imagem:
          Como você avalia o seu grau de satisfação com sua vida como um todo?
          De que maneira você é responsável pelo corpo que você tem hoje?
          Como você tem tratado o seu corpo desde que seu filho nasceu?
          O que você acha que pode fazer para se sentir melhor em relação com relação a sua imagem?
          Que hábitos e atitudes você pode mudar, que você acredita que podem melhorar sua aparência?
          O que te impede de entrar em ação?
          Por onde você acha que poderia começar?
          Eu escrevo no Beleza Mamífera, depois você passa lá par dar uma olhada no blog.
          Reflita sobre essas perguntas e procure identificar onde é que está a sua responsabilidade com relação a isso que te incomoda tanto. Faça uma lista de tudo que você ganhou com a maternidade e de tudo o que é positivo na sua vida. Todas nós temos a nossa beleza. E você tem que ser a primeira pessoa a reconhecê-la e valorizá-la. Se olhe no espelho com carinho e observe cada ponto do seu corpo. Seus cabelos, seus olhos, os traços do seu rosto, sua pele, suas mãos, suas unhas….descubra a beleza dentro de você, que ela vai se refletir do lado de fora.
          Com carinho,
          Clarisse

        • Carol

          Letícia, muito obrigada pelas palavras, sinta-se também abraçada por mim. Foi bem isso que você escreveu o que aconteceu, fui obrigada a passar por tais situações e não consigo aceitar o meu corpo depois da gravidez. E não, não sou feliz, nunca fui depois da maternidade e também não me sinto disposta a fazer nada 🙁
          Clarisse
          Respondendo suas perguntas: Não sou nem um pouco satisfeita com minha vida e não me sinto responsável pelo corpo que tenho, já que durante a gravidez eu me cuidei, passava óleo de amêndoas umas 5 vezes ao dia, bebia muito líquido, usava sutiã 24h por dia, etc… mas tb tenho um AZAR imenso e uma genética podre que mesmo assim fiquei cheia de estrias e com peito caído 🙁
          Depois que meu filho nasceu já fiz de tudo, tratamento estético (gastei o que não podia), dietas, caminhada, academia, pilates, etc. Mas NADA adiantou!
          A única solução seria cirurgia plástica, porque nada tira estrias, excesso de pele e levanta peito. O que me impede de fazer as cirurgias é minha mãe, que não deixou e nem vai deixar eu fazer enquanto morar na casa dela, portanto, tenho que me casar primeiro.
          E eu não vejo beleza nenhuma em mim, assim como as outras pessoas também não, pois já questionei inúmeras e nunca ninguém me disse que um corpo igual o meu é bonito ¬¬
          Acho que só vou ser feliz depois que fizer essas plásticas… Faz 7 anos q tô sofrendo com isso 🙁

  • Monica Felix de Lima

    Lindo texto ,tive meu filho com 16 anos ,foi a melhor coisa que aconteceu em minha vida ,fiquei responsavel, cresci junto com ele.Em agosto farei 40 anos e vou ser avo a qualquer momento!Meu neto sera outra maravilha em nossas vidas.Não me importo como meu corpo ficou,pra falar a verdade nem lembro que sou cheia de estrias e os seios sumiram viver pra ele e o presente que receberei em breve o Apolo ,foi minha melhor recompensa.

  • carolina darcie

    Gi..excelente. Acho que confundimos um pouco o corpo pós-maternidade ( que muda por um tempo) com o envelhecimento e o engordar. Geralmente depois que temos filhos, temos menos tempo pra nós. No meu caso, já fui bem maior antes de engravidar….então lidei na boa com o peso ( já fui Vigilantes e Meta Real….e fiz corrida de rua e dancei muito). As épocas em que estive pior, eram épocas emocionalmente horrorosas. O corpo feminino é lindo seja maior ou menor, mas todas queremos ter mobilidade, agilidade. Não precisamos ser modelos de beleza com barriga chapada….mas quero não sentir dores nos joelhos subindo escadas. E isso não tem nada a ver com maternidade. Eis a confusão que muitas fazem (precisamos culpar algo fora de nós….). Estrias….rugas….cabelos brancos…a mulher é bombardeada o tempo todo para ser jovem e linda. Não tem como: vamos envelhecer….sejamos mães, ou não.

  • Noemi

    Marcas da maternidade, o belo além do belo. fantástico o texto. Diria que é aquele típico texto que toda mulher que vai gestar deveria ler.
    Parabéns,

  • Flávia

    Pq q só tem mulher achando isso lindo?
    Não tem nenhuma opinião masculina, queria saber a opinião de um homem sobre isso

    • Carol

      A opinião do Rodrigo é sobre a mulher dele, ok.
      Mas e quando é mãe solteira como eu?
      NUNCA ninguém me disse que meu corpo é bonito, mto pelo contrário ¬¬

      • Rodrigo Gerez

        Carol,
        Algo que eu falo no meu post e serve para as mães solteiras também:
        “Uma mulher que acredita em si mesma brilha muito mais do que imagina, os homens percebem e se encantam com isso , e parece que é um ciclo, porque todas as mulheres confiantes que conheço são vaidosas (Cada uma de sua forma), aceitam o seu corpo como é, e se não aceitam, lutam para conseguir ficar como gostariam, se não alcançam, não se abalam, aprendem a potencializar as qualidades e a esconder o que as incomoda… Quantas vezes não vi uma mulher praticamente perfeita ofuscada pela luz de uma mulher “comum”, que carregada de uma confiança inabalável, chamava todos os olhares para si.”
        Eu tenho um exemplo prático: eu gosto de mulheres bem magras e baixinhas, padrão mignon, mas veja só, me casei com uma mulher bem diferente disso! Casei com um mulherão que tem a minha altura! Como explicamos isso? Como eu tenho tanta atração por ela se ela não é do modelo fisico que me agradaria?
        Eu te digo, é porque ela acredita na beleza dela, e isso a faz ser vaidosa e segura, isso chamou minha atenção, e me apaixonei por ela, porque a via pelo olhos dela…
        Não só os homens, mas todos te vem através dos seus olhos, se você não se acha bonita, como os outros poderão achar? Isso não depende do padrão de beleza, se é gordo, magro, alto ou baixo, isso vem de dentro e se externaliza de uma forma intangivel, mas notável!
        Vai dizer que você nunca viu alguém que era tudo pra ser considerado feio, mas carregava uma beleza inexplicável que chamava atenção?
        Vou contar uma história que é bem apropriada:
        “Era uma vez um garoto que vivia em uma caverna, ele era muito feliz lá, tinha seu cantinho, e tudo ia bem… Um dia, ocorreu um desmoronamento, a caverna foi soterrada e o garoto perdeu seu lugar onde dormia… Ele acabou pegando algumas folhas, forrou o chão e tentou dormir… foi a pior noite da vida dele, passou frio, tinha medo dos bichos e não conseguia parar de pensar na perda da sua querida caverna… Quando finalmente dormiu, o sol apareceu e o acordou, mais um ponto negativo, o sol não deixava ele dormir quando queria…
        Ele pensou em desistir da vida, como faria agora se nunca mais conseguiria dormir em sua caverna? Chorou o dia inteiro, de cansaço dormiu, acordou repentinamente e já era noite, reparou que estava olhando o céu e veja, o que são aqueles pontos brilhantes e lindos que ele nunca havia visto? Se apaixonou pelas estrelas, logo voltou a dormir, acordou com o sol novamente, mas viu que o fato do sol acordá-lo, permitia que o dia rendesse mais, afinal não dormia até tarde. O garoto finalmente estava seguindo adiante! Usou da disposição que o sol lhe dava e construiu uma cabana para resolver o problema dos bichos, vento e frio, mas claro, não esqueceu de fazer uma janela para poder ver as estrelas antes de dormir! O garoto agora só lembra da caverna como uma boa recordação, algo que foi bom por um momento, mas agora já esta em outra!”
        Parece uma história boba, mas a vida faz isso com a gente, muda as regras toda hora, e cabe a nós parar de olhar pra tras, entender a nova situação e procurar a parte boa disso, logo será possível ser tão e até mais feliz que antes!
        Carol, você precisa parar de olhar pra trás, aceitar o desafio que esse novo corpo lhe trouxe.
        Hoje você pode não achá-lo bonito, mas seguindo em frente, logo perceberá que ele pode te levar a novos horizontes, que se explorado da maneira certa, terá sua beleza aflorada… Quando chegar a esse ponto, que você enxergue sua beleza e aprenda a valorizá-la, os demais conseguirão reconhecê-la!
        E se após a gravidez nunca alguém disse que seu corpo é bonito, pode ser que esteja na hora de ir para novos circulos de relacionamento, a diversidade de padrão de beleza muda de pessoa pra pessoa! E eu atesto isso! Quando falo com meus amigos sobre mulheres, é só risada, porque a que é bonita pra um é feia pra outro e vice versa!
        Bom, essa é a minha opinião ; )

        • Carol

          Rodrigo,
          Sinceramente não vejo vantagem nenhuma em ficar com esse corpo ridículo.
          Meu filho já tem 7 anos (como disse em outro comentário) e durante este período troquei de emprego, fiz curso técnico e atualmente estou acabando a faculdade, sempre fui renovando o círculo de relacionamentos e mesmo assim, NUNCA ninguém me disse que meu corpo é bonito 🙁

    • Renato Reale

      Flávia,
      aqui vai uma opinião masculina. me casei 2 vezes e me apaixonei outras tantas. nunca foi pelo corpo. sempre foi pelo olhar, pelo sorriso e pelo q eles, em segredo, me diziam.

      • Flávia

        Que legal, adorei sua resposta, rs.
        Bem curta, direta e simples.
        Hoje em dia é muito forte o “padrão” que a sociedade impões nas mulheres. Temos que ser magras, sem celulires e estrias. cabelos perfeitos, pele perfeita, inteligente, sexy sem ser vulgar (pq senão é puta).
        Então fico pensando se um dia eu ficar grávida e depois disso ficar uma balofa, com estrias, celulite, peitos caídos, será que meu marido em questão ainda se sentiria atraído por mim? Ou eu me sentiria confiante ainda? Hoje penso que eu me sentiria horrível, com a auto estima super pra baixo se ficasse assim.