Ministro da Saúde debate saúde da mulher com blogueiras


Nesta quinta-feira (7), o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, se encontra com blogueiras para conversar sobre saúde da mulher. A reunião tem o objetivo de esclarecer as principais dúvidas sobre o cuidado com a saúde da mulher brasileira.
O evento será transmitido por Hangout e estará aberto para a participação via Internet. Quem deseja tirar dúvidas sobre o tema já pode enviar perguntas para o e-mail ministeriodasaude2009@gmail.com, que elas serão respondidas durante o encontro, com início marcado às 17 horas (horário de Brasília) no gabinete do ministro.
 
Eu já mandei meu email! E você? Tá faltando inspiração pra escrever? Vou deixar minhas perguntas aqui, podem usar a vontade! 😉
Beijos
Gisele
 
Prezado Ministro Alexandre Padilha, bom dia.
Soube através das redes sociais, que hoje acontecerá um debate com blogueiras sobre os cuidados com a saúde da mulher brasileira. Por isso, envio este email.
Meu nome é Gisele Leal, sou Bióloga, Doula, mãe de 3, gestando meu 4o bebê e ativista pela humanização do parto e nascimento. 
Gostaria muito de pontuar algumas questões para serem respondidas:
1) O Brasil leva o triste e vergonhoso título de campeão mundial de cesáreas. Os índices são alarmantes no setor suplementar. Qual a estratégia do governo para diminuir este índice que leva mulheres e bebês todos os dias para as UTIs, e aumenta em pelo menos 4 vezes a morbidade materno-fetal? 
2) Quais ações o governo está fazendo para que haja punições pesadas às instituições publicas e privadas que não seguem as recomendações da OMS e do MS?
3) Quais ações o governo está fazendo para que haja punição para instituições e profissionais que fazem cesareas eletivas e sem necessidade?(Instituições como a Maternidade da Unimed Sorocaba, a Maternidade de Campinas ou o grupo Santa Joana e Pro Matre que possuem mais de 90% de cesáreas por exemplo)
4) O MS já mapeou os principais motivos do alarmante numero de cesáreas no Brasil? (Eu posso apostar que qualquer mulher que saiba como é a assistência ao parto normal jamais irá querer ter um.)
5) Qual a estratégia do governo para que a Humanização do Parto e Nascimento seja uma REALIDADE para qualquer mulher deste país? 
6) Qual a estratégia do governo, para que a violência obstétrica seja punida duramente por instituições e profissionais que a praticam?
7) Qual a estratégia do governo para que o parto seja realmente um evento bio-psico-social e não um ato médico, frio, tecnocrático, regado de intervenções desnecessárias e iatrogênico?
Acho que pra começar é isso… Em nome de todas as mulheres que um dia sofreram violência obstétrica, solicito uma reunião do Ministro da Saúde com as ativistas do movimento pela humanização do parto e nascimento e com as ativistas do movimento pelo fim da violência obstétrica em nosso país.
Grata,
Gisele Leal
 


Sobre Gisele Leal

- Acompanhamento da Gestação - Preparação para o parto (individualmente ou em grupos) - Consultoria para a escolha de profissionais e locais de parto - Elaboração do Plano de Parto - Dia da Despedida da barriga, barriga de gesso - Acompanhamento do Trabalho de Parto, Parto e Pós-parto imediato - Assistência ao Parto e puerpério - Consultoria em Aleitamento Materno - Fotos do parto, da família e da gestante

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *