Está grávida e desempregada? Você pode ter direito a Licença Maternidade. 5


licença-maternidade

Esse é um post de utilidade publica. Repassem. Eu não tinha essas informações, e se tudo der certo (e vai dar!!) essa informação vai me ajudar muito nos quatro primeiro meses de nascimento do bebê. Vai me trazer a tranquilidade que eu preciso para curtir o puerpério!

Se você trabalhou com carteira assinada e/ou contribuiu com o INSS, mesmo que esteja desempregada você pode requerer o salário maternidade depois que seu bebê nascer.
Isso mesmo! Muitas mulheres não tem essa informação, eu também não tinha.
Meu primeiro registro na carteira  profissional foi quando eu tinha 14 anos. Trabalhei depois disso, algum tempo sem registro, outro bom tempo como estagiária, e no final das contas, contribuí ao todo durante quase 14 anos para a Previdência Social.
Alguma amiga me deu a dica: vai atrás do salário maternidade. Cabeça de grávida, agora não me lembro quem foi (obrigada!!!!!!). Liguei cinco vezes no 135, que desespero! Só informações desencontradas. Cada atendente dizia uma coisa. Conversei com um amigo vereador, que me indicou uma assistente social que trabalha na sessão de assistência ao trabalhador na prefeitura da minha cidade e saberia me dar a informação correta. E foi através dessa assistente social que eu tive as informações corretas. Então aproveito pra dividir aqui com vocês.
Se você está desempregada há no máximo 24 meses (entre a data de desligamento do ultimo emprego e do nascimento do bebê) você tem direito a receber quatro meses de licença maternidade no valor integral que você recebia no seu ultimo emprego.
Se você  está desempregada entre 24 e 36 meses (entre a data de desligamento do ultimo emprego e do nascimento do bebê) e você contribuiu por dez anos ou mais para a previdência social, você tem direito a receber quatro meses de licença maternidade. Atenção: precisa ter solicitado o seguro desemprego e apresentar o formulário! O valor será calculado pelo INSS e pela informação que eu obtive hoje em uma agência, será 80% da média dos 180 melhores salários que você recebeu. Esse cálculo é meio nebuloso, porque não seria justo usar um salário de 10 anos atrás (sem juros e correção) para compor uma média não  é? Tenho esperança que esses valores sejam corrigidos.
Em ambos os casos é preciso esperar o nascimento do bebê para dar entrada no pedido de salário maternidade.
É uma informação que não é  clara e amplamente divulgada, e que eu penei bastante pra conseguir. Depois que eu der entrada, eu conto pra vocês se o cálculo é esse mesmo que me informaram ou se é diferente.
Torcendo pra dar certo! Afinal não vou doular enquanto estiver amamentando exclusivamente e em livre demanda, e se tudo der certo (e vai dar!) é justo que tantos anos de contribuição para a Previdência Social me ampare neste momento!
Se você trabalha na previdência e souber completar este post com mais informações, envie um email para giseleleal@mulheresempoderadas.com.br
Ajudem a divulgar essa informação! É um direito de toda mulher que contribuiu com a Previdência 😉


Sobre Gisele Leal

- Acompanhamento da Gestação - Preparação para o parto (individualmente ou em grupos) - Consultoria para a escolha de profissionais e locais de parto - Elaboração do Plano de Parto - Dia da Despedida da barriga, barriga de gesso - Acompanhamento do Trabalho de Parto, Parto e Pós-parto imediato - Assistência ao Parto e puerpério - Consultoria em Aleitamento Materno - Fotos do parto, da família e da gestante

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 pensamentos em “Está grávida e desempregada? Você pode ter direito a Licença Maternidade.

  • Luana

    Muito util essa informação. Estou desempregada desde março desse ano e engravidei no mês seguinte e desde então venho pesquisando sobre o assunto. no inicio da gravidez, todas as respostas que obtive dos atendentes do 135 era que eu poderia requerer quando chegasse ao 8º mês de gestação.
    E hoje, com 8 meses de gestação, toda vez que ligo, me informaram que é só quando o bebe nascer. é um absurdo a falta de preparação dos atendentes… Até agora não estava confiante do procedimento correto, mas depois d ver seu post, vi que voce passou pela mesma situação.
    Fazer o que né, o jeito é esperar o João Pedro nascer em dezembro, e, em janeiro, dar entrada no bendito beneficio.
    Obrigada por compartilhar essa informação tão importante e esclarecedora.

  • Camila Fonseca

    Olá, acabei de ligar pra me informar e eles me disseram que eu tenho direito, por ser uma segurada desempregada. Só queria confirmar, mesmo eu tendo pedido a conta em 30/08/2013 eu tenho direito. A atendente me disse que sim, que eu só devo levar meus documentos pessoas e a certidão de nascimento do bebê

  • Fabiana de ramos

    Eu sai do serviço em 23/03/2014 já estou a dois meses em casa e agora estou gravida sera que eu tenho direito a alguma coisa tbm????

  • Fernanda

    Ola meninas
    Eu tive a experiência de hoje ir na previdência social para tirar minhas dúvidas que eram muitas rsss e a atendente me disse q tenho direito ao seguro SIM.
    Minha situação:
    Meu ultimo trabalho registrado em carteira foi em Fevereito/2013
    Se passaram 1 ano e 5 meses sem que eu tenha feito nenhuma contribuição.
    Então ela me orientou a fazer 3 meses de contribuição e elas devem ser feitas ANTES do nascimento do bebê.
    Assim q o bebê nascer eu ligo no 135 p fazer o agendamento ou posso fazer o agendamento pela internet.
    Ela frizou muito a parte dessas 3 CONTRIBUICOES terem que ser feitas ANTES DO NASCIMENTO DO BEBE.
    E também que eu precisava ter contribuido no mínimo 10 meses e não 10 anos, pelo menos no meu caso de ter menos de 24 meses desempregada.
    Espero ter ajudado.
    Indico pra quem tem duvidas maiores se encaminhar ate a Previdência Social mais próxima da sua residência e falar de sua situação.
    Pois cada caso é um caso.
    O benefício realmente existe, mas tem que correr atrás.
    Boa sorte para todas nós.
    Abraço.